CUMQUIBUS E A SAGA DA PEDRA BRANCA

small cumquibus

Que o Dr. David Kallás é um  grande médico todos nós sabíamos. Mas que é também um excelente contador de estórias, trata-se de um fato que até poucos dias atrás eu ignorava.

Este novo atributo do Dr. David fica comprovado pela leitura de seu novo livro, intitulado “Cumquibus e a Saga da Pedra Branca”.

Neste interessante relato, que mistura ficção e realidade, o Dr. David aborda a história da colonização do Sul das Minas Gerais. O personagem central da trama é o português Braz Fernandes Ribas, que vem para o Brasil com o propósito de tomar posse de sesmaria na região do Vale do Sapucaí, próxima do Córrego do Mosquito. As sesmarias eram grandes extensões de terra que o rei de Portugal cedia a alguns súditos com a condição de que a tornassem produtiva num certo intervalo de tempo. Era um grande desafio, pois se tratava de transformar o sertão bruto em uma fazenda capaz de garantir a sobrevivência dos moradores.

Braz Fernandes Ribas é personagem histórico e foi dono de uma sesmaria na região de Santa Rita do Sapucaí, conforme consta do livro “SantaRita do Sapucaí 200 Anos Atrás”.  Nesta obra, de autoria do sr. José Procópio Carvalho Junqueira, Braz Fernandes Ribas aparece como proprietário da sesmaria da Água Limpa do Vintém, que lhe foi concedida em 1818. Era casado com Floriana Maria da Conceição, sobrinha do Alferes Francisco Tomás Vilela, proprietário da sesmaria do Médio Vintém, vizinha à  de Braz Fernandes.

David Kallás descreve a chegada de Braz Fernandes Ribas ao Brasil, a compra dos escravos no Valongo (cujas ruínas estão sendo escavadas no Rio de Janeiro), a emocionante viagem através da Serra da Mantiqueira com uma tropa de burros, levando todo o necessário para iniciar a exploração da fértil região do Vale do Sapucaí.

Neste momento entra em cena um bando de mercenários europeus, que acaba por se envolver em uma busca alucinante por um tesouro supostamente escondido em algum ponto da Serra da Pedra Branca. Trata-se de grande quantidade de ouro; o metal precioso teria sido trazido para o lugar por ninguém menos do que o poeta e inconfidente Alvarenga Peixoto. O ouro seria usado para financiar a república que teria sido criada se a Inconfidência Mineira tivesse tido sucesso.  Como isto não ocorreu e os inconfidentes foram exilados, o tesouro ficou abandonado na serra.

A procura do tesouro se desenvolve em várias etapas onde o bem e o mal se confundem. Pessoas trocam de lados atraídas pela imensa fortuna que jaz em algum lugar daquela área. Até o futuro Senador José Bento participa das peripécias, na qualidade de seminarista feito refém pelos mercenários.

Braz Fernandes toca sua vida na sesmaria, mas acaba arrastado pelos acontecimentos, vindo a encontrar-se em confronto direto com os mercenários. As consequências do entrevero, que ocorreu nas imediações de Espírito Santo do Cumquibus (hoje Cristina) são quase fatais para o sesmeiro.

Outro ponto interessante nesta obra do Dr. David é que o autor atribui a diversos personagens o nome de santarritenses, natos ou por adoção, vivos ou mortos. O leitor se divertirá relacionando os nomes dos personagens às pessoas que conhece e imaginando qual é o grau de aderência entre a personagem e a pessoa cujo nome o autor tomou emprestado. Encontrei  os nomes de Arthur François de Gruiter, José Procópio Carvalho Junqueira, Hermes Moreira e Paulo Cunha Azevedo, mas com certeza há outros.

O livro “Cumquibus e a Saga da Pedra Branca” encantará leitores de todos os lugares, mas tem um significado especial para aqueles que estão familiarizados com o Vale do Sapucaí e redondezas.

Parabéns ao Dr. David Kallás por este ótimo livro!

Anúncios

1º ENCONTRO DA FAMÍLIA MARQUES DE AZEVEDO E TELLES

WhatsApp Image 2018-10-14 at 10.47.53

Nada na vida acontece por acaso… Poucos de nós nunca passaram por momentos nos quais o mundo parece sem sentido e a vida sem significado. Mas o Altíssimo sabe o porquê de todas as coisas e permite que elas aconteçam quando devem acontecer.

Só assim é possível acreditar que uma antiga foto, de uma senhora idosa, falecida há 85 anos, tenha resultado no evento que presenciamos na noite deste sábado. Nenhum de nós a conheceu pessoalmente, mas a foto publicada pela prima Regina Gláucia impeliu os primos Milton e Mauro a se juntarem a ela para promover um evento muito necessário e bem-vindo, que foi o belíssimo Encontro de nossa família.

Talvez já existisse entre os familiares um sentimento difuso a respeito da necessidade e oportunidade de reencontrar pessoas queridas; talvez o clima de ódio e divisão, que tem sido uma constante no Brasil dos últimos anos, tenha nos impelido a mostrar que pode e deve haver amizade e respeito entre as pessoas apesar de eventuais divergências políticas.

Seja como for, a lembrança daquela bondosa senhora, tão amada pelos filhos e netos, acrescentada com trabalho e dedicação à soma de nossos sentimentos, agiu como um poderoso catalisador em  uma reação química.  Basta dizer que alguns deixaram seus lares em lugares tão distantes quanto São Luiz do Maranhão ou Ponta Grossa no Paraná e se dispuseram a enfrentar a longa viagem até Santa Rita do Sapucaí para participar do Encontro..

O trabalho de Regina, Milton e Mauro foi incansável. O resultado ficou, arrisco-me a afirmar, além das mais otimistas expectativas. A decoração estava incrível, os petiscos deliciosos e o bolo é para fazer história. Mas o melhor de tudo foi o clima maravilhoso de amizade, confraternização, memórias compartilhadas entre pessoas tão diversas, mas unidas pelos laços de um passado comum.

Para mim, que não fui criado em Santa Rita, e ainda não conhecia grande parte de nossos parentes, .foi uma experiência maravilhosa conhecer tantas pessoas boas e distintas, cuja amizade gostaria de cultivar. E fiquei surpreendido quando, conversando pela primeira vez com várias pessoas, percebi que tínhamos muitas lembranças em comum. É por isto  que a família se afigura uma fortaleza onde podemos buscar algum conforto nos momentos de aflição; ali encontraremos sempre pessoas cuja alma estará um pouco mais próxima da nossa do que a de simples estranhos.

Voltando ao ponto inicial, nada acontece por acaso… Este Encontro e as atividades que o precederam foram também ocasiões nas quais nos lembramos com carinho daqueles que vieram antes de nós. Que cada um, a seu modo, encontre alguns momentos para dedicar a eles um pensamento, uma lembrança, uma oração – de acordo com sua crença pessoal – no sentido de que possam contemplar a Luz.

 

O DISCURSO E A ALMA

Prometi a mim mesmo, há alguns meses, não polemizar com esquerdistas em geral, e especialmente com os petistas. Este grupo me parece ser o que apresenta os sinais mais avançados de embotamento mental. Cansei-me de comentar as mentiras, erros factuais e raciocínios especiosos que frequentemente fazem parte das postagens nas redes sociais escritas por partidários do criminoso condenado Luis Inácio Lula da Silva.

Estou cada vez mais convencido que as bobagens escritas pelos petistas não sejam causadas por má fé. Parece-me que é simples ignorância. E observem que para deixar de ser ignorante não basta ler muito; e necessário ler muito de autores com diferentes pontos de vista. Se você só lê autores marxistas – pois lhe ensinaram (e você acreditou) que o marxismo está associado a tudo que há de bom, nobre, altruísta no ser humano – é fácil perceber que você terá dificuldade em compreender porque as nações com os melhores índices de desenvolvimento humano organizam a economia de acordo com os princípios do livre mercado.

Se você acredita que Cuba e Venezuela são exemplos a serem seguidos pelo Brasil – porque os próceres de seu partido (estes sim, corruptos e canalhas, tanto que boa parte deles está na cadeia) o convenceram disso – procure informar-se da real situação destes países, não com colegas de partido, mas com alguns dos milhares de exilados que tiveram que abandonar suas famílias e amigos para não morrer. E depois de ler alguns livros de História, talvez você entenda porque nem a Venezuela e nem Cuba são modelos que o Brasil deva imitar.

Se você acredita que as repúblicas populares eram o paraíso dos trabalhadores, faça um levantamento de quantas pessoas morreram tentando fugir de Miami para Havana em barcos improvisados, ou tentando passar de Berlim Ocidental para Berlim Oriental.

E se você acredita que o PT é um partido democrático, pelo amor de Deus, mostre que não é um analfabeto funcional e leia o programa de governo do partido, registrado no TSE.  Lá estão detalhadas as ações que o partido pretende implementar para instalar uma “democracia popular”, anulando o poder do Congresso Nacional e submetendo o Poder Judiciário ao Executivo. É um documento de arrepiar os cabelos, por suas idéias escancaradamente liberticidas, que visam a garantir de forma completa que a democracia brasileira seja destruída.

Mas, infelizmente, não acredito que algum petista vá seguir qualquer destas recomendações, que poderiam reduzir um pouco seu desconhecimento sobre o mundo em que vivemos. Hoje o petismo não é mais uma ideologia; tornou-se uma crença. Ser petista hoje é como ser Testemunha de Jeová ou adepto da Igreja dos Santos dos Últimos Dias.

Na religião petista, em primeiro lugar e acima de todos está Lula. O petista crê em Lula, não obstante as acachapantes evidências de que o ex-presidente era o comandante de um bilionário esquema de corrupção que quase destruiu a Petrobrás; das centenas de horas de depoimentos sobre as propinas que recebeu; dos evidentes sinais de enriquecimento ilícito dele e de sua família; do fato de ter sido condenado e estar preso por corrupção passiva e ocultação de bens, isto só no primeiro dos sete processos que correm contra ele na Justiça. Não, para o petista nada disto importa. Tudo não passa de uma conspiração sórdida “das elites”, que tem ódio ao amantíssimo Pai dos Pobres.

Seria hilário se não fosse a triste realidade de que este tipo de fanatismo contamina boa parte da chamada “intelectualidade” e da imprensa brasileiras, que propaga e mantém viva a crença na santidade do Grande Companheiro.

Agora que o primeiro turno da eleição presidencial evidenciou a rejeição do projeto de poder do PT pela maior parte da população, seria de se imaginar que o partido (ou, como afirmam muitos, organização criminosa travestida de partido) fizesse uma autocrítica, reconhecesse seus muitos erros e mudasse para tornar-se mais próxima do eleitorado.

Que esperança! Os petistas acreditam piamente que os mais de 49 milhões de brasileiros que votaram em Jair Bolsonaro são canalhas fascistas ou ignorantes que depositaram seu voto na urna por medo do comunismo e não por acreditar nas idéias do candidato: honestidade no trato com o dinheiro público, redução do Estado, desburocratização, fim da doutrinação política nas escolas, defesa dos valores familiares, maior rigor no combate ao crime e nas punições aos criminosos, etc.

Alias, uma das características mais irritantes dos fanáticos petistas é aquela atitude que os ingleses denominam apropriadamente de “hollier than thou” (mais santo do que vós sois). Os petistas fanáticos acreditam que só eles são pessoas boas e sábias, e todos os que deles discordam são “fascistas”. São incapazes de discutir idéias, fatos, números, dados, filosofia política; tem uma visão preconceituosa e distorcida da realidade e querem viver fechados em um mundinho medíocre e limitado, repetindo slogans e discursos que eram velhos na década de 1950.

Novamente, seria risível se não trouxesse consigo as sementes do totalitarismo e da violência. No momento em que despersonalizo meu adversário e simplesmente o rotulo (“Um fascista!”), deixo de perceber sua individualidade e esvazio o diálogo. Mais um passo, e deixo de considerar sua humanidade e, portanto, de reconhecê-lo como igual a mim em essência, ou seja, um ser humano dotado dos mesmos direitos. Daí ao totalitarismo é apenas um passo…

Este passo parece já ter sido dado por muitos. Para exemplificar, citarei apenas uma sequência de postagens que observei recentemente e que demonstram a que ponto chega a intolerância e o sectarismo de alguns petistas.

Primeiro o post que dá origem ao tema:

nazismo

Em princípio o autor desta bobagem compara os que votaram em Bolsonaro aos alemães que apoiaram Hitler. Comparar Hitler e Bolsonaro, a Alemanha da década de 1930 e o Brasil da década de 2010 é tão absurdo, ridículo e despropositado que fica até difícil comentar tamanha asneira. Mas fica uma dica para o autor deste post infeliz: leia um pouco sobre a Primeira Guerra Mundial, o Tratado de Versalhes, a República de Weimar, e a ascensão do nazismo e, se não for completamente dominado pelo fanatismo esquerdista, verá que esta história não tem nada a ver com o Brasil de hoje e a candidatura de Bolsonaro.

Mas o que me deixou mais estarrecido foi o comentário preconceituoso e arrogante de um petista sobre a postagem, que ilustra perfeitamente como a mentalidade totalitária é inerente à visão de mundo dos fanáticos. Escreveu o petista:

[…] triste não é ver pessoas queridas apoiando. Triste é um dia ter sentido qualquer empatia, carinho e até mesmo amor por este tipo de gentinha. Menos mal é ainda ter algum tempinho – será que mais uns 15 ou 20 anos? – para desinfetar…

Afora a deselegância do uso do termo “gentinha”, uma das palavras mais terríveis da língua portuguesa, usada pela nossa pior elite escravocrata e patrimonialista para designar o povo em geral, o comentário revela em toda a sua extensão a estreiteza do pensamento dos fanáticos.

De acordo com a visão claramente expressa no texto, para o fanático só é plenamente humano quem concorda com suas idéias. Quem tem idéias divergentes não chega a ser gente, é apenas  “gentinha”, que não merece agora e não merecia no passado (como isto me lembra o caso do garoto da URSS, nos anos de Stalin, que recebeu um prêmio por denunciar os pais à NKVD) qualquer sentimento humano.

As implicações são óbvias: se esta “gentinha” (49 milhões de brasileiros que votaram em Bolsonaro) não chega a ser gente, é claro que não possui os direitos inalienáveis inerentes ao ser humano. Portanto, são como uma praga que infecta o país e é lícito desinfetar a sociedade, eliminando esta “gentinha”.

E é este tipo de pessoa que vem atacar Bolsonaro?!

PORQUE VOTAR EM JAIR BOLSONARO

 

Aos leitores: se você é um esquerdista convicto, acredita que LULA é vítima de uma conspiração e acha que o PT é um partido político que valoriza a democracia, não perca tempo lendo este texto.

Se você está indeciso e ainda não sabe em quem votar para Presidente, pense um pouco no que tem acontecido no BRASIL nos últimos anos. Leia o texto, verifique se estou me referindo a FATOS e pense no futuro que quer para você, seus filhos e netos.

Capitaneado por um presidiário condenado (até o momento) a 12 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, uma organização criminosa, incrustrada em partido político, teve o desplante de pleitear a candidatura do chefe da quadrilha a Presidente da República!

Este absurdo, inédito no mundo, foi barrado pela Justiça Eleitoral. O criminoso de Curitiba definiu então o nome de um fantoche que, se eleito, governaria o país recebendo ordens de dentro da cadeia. É o BRASIL sendo dirigido como o PCC. Nossa Pátria não merece isso!!!

Assistimos a demonstração cabal de uma canalhice que não conhece limites, traço marcante e comum da personalidade doentia de certas lideranças da esquerda, que vem dominando a política brasileira nos últimos anos.

Pense um pouco no senso ético e na honestidade desta gente. Quanta sujeira, quanta roubalheira, quanto desrespeito à Lei! Estes bandidos roubaram bilhões e bilhões de reais do erário, dinheiro que poderia ter sido usado para construir escolas, hospitais, aumentar o efetivo das polícias.

Quanta gente morreu nos corredores de nossos hospitais públicos porque sumiram as verbas para a Saúde? Quantas pessoas foram assassinadas porque não há verbas para a Segurança? Quantos jovens se tornaram vítimas de traficantes porque não há verbas para a Educação, impedindo que frequentem uma escola em tempo integral que lhes daria a oportunidade de um futuro decente?

Naturalmente, a esquerda tenta culpar o Temer, contra quem há evidências fortíssimas de corrupção. Mas lembre-se, ele foi colocado na Vice-presidência por Lula, quando já se sabia que não prestava. Os governos petistas destruíram o BRASIL. Transformaram nossa Pátria em terra arrasada, desmoralizaram completamente as instituições democráticas, lançaram a economia na mais profunda recessão de nossa história.

O número de trabalhadores desempregados se aproxima de 14.000.000, milhares de lojas e pequenas indústrias faliram. Conseguiram também destruir uma das coisas mais preciosas que uma nação possui: a esperança de um futuro melhor. Uma pesquisa recente constatou que 46% dos jovens deixariam o país se pudessem; os brasileiros estão desistindo do BRASIL.

Mas para quem olha a floresta e não as árvores, fica claro que o PT está prestes a completar seu monstruoso projeto criminoso de eternizar-se no poder. Após ter levado o BRASIL ao caos, prepara-se para o derradeiro passo: a destruição do sistema democrático.

Quem duvida, leia o Programa de Governo do Partido dos Trabalhadores, onde isto está exposto de forma cristalina, embora repleta de eufemismos.

Como é mais fácil perpetrar crimes contra a democracia quando a imprensa está amordaçada, é provável que o governo petista inicie seu atentado contra a liberdade dos brasileiros implementando este item de seu programa: 1.3 PROMOVER A DEMOCRACIA, O PLURALISMO E A DIVERSIDADE NA MÍDIA. A despeito dos circunlóquios e eufemismos, a finalidade desta ação é uma só: calar os opositores do governo, tanto na mídia tradicional (jornais, revistas, emissoras de rádio e televisão) como nas redes sociais da internet.

Com a oposição sem voz, é provável que o próximo passo seja sujeitar o Judiciário à tutela do Executivo, conforme os argumentos e ações descritos no item 1.2.4 PROMOVER A REFORMA DO SISTEMA DE JUSTIÇA. Em meio aos eufemismos, percebe-se que se trata do desmonte das operações de combate à corrupção e até mesmo da fiscalização dos tribunais de contas. Sugere-se ainda a criação de tribunais revolucionários.

O BRASIL vive uma democracia representativa, na qual a sociedade debate e resolve seus conflitos através de representantes eleitos. O Plano de Governo do PT propõe no ítem 1.2.2 PROMOVER UMA AMPLA REFORMA POLÍTICA COM PARTICIPAÇÃO POPULAR., estabelendo o que ele denomina “democracia participativa”. É claro que a participação popular se dará através das organizações sociais (leia-se CUT, MST, MTST, etc.). Especialmente preocupante é este trecho: “Vamos expandir para o Presidente da República e para a iniciativa popular a prerrogativa de propor a convocação de plebiscitos e referendos, que não poderão dispor sobre temas protegidos pelas cláusulas pétreas da Constituição de 1988.”

O passo final para a implantação da ditadura esquerdista está descrito no item 1.4 CONVOCAR UM NOVO PROCESSO CONSTITUINTE: SOBERANIA POPULAR EM GRAU MÁXIMO PARA A REFUNDAÇÃO DEMOCRÁTICA DO BRASIL.

O PT propõe convocar uma Assembléia Constituinte paralela, que esvaziará completamente o Congresso Nacional e votará uma nova Constituição ao gosto do partido, instituindo um governo totalitário no país. FOI EXATAMENTE ISTO QUE NICOLÀS MADURO FEZ NA VENEZUELA!!!

Tudo está muito claro: a eleição de 2018 é a mais importante de toda a história republicana, pois estaremos decidindo o país que teremos não para os próximos quatro anos, mas sim o país que teremos para as próximas décadas.

Caso optemos por votar no candidato da esquerda, Fernando Haddad, em poucos anos nosso BRASIL será um país miserável, oprimido por uma ditadura brutal. Pode ser que passemos por uma guerra civil (como aconteceu na Revolução Russa), com consequências verdadeiramente devastadoras para o BRASIL e os brasileiros

Felizmente, estamos hoje diante da possibilidade concreta de varrer Lula, o PT e toda essa gente para o lixo da história! Só depende de você.

O povo brasileiro há de ter o discernimento para eleger um presidente que ama verdadeiramente nossa Pátria e é, na atual conjuntura, o único entre todos os candidatos capaz de desviar o país da rota que o levará com certeza a um desastre de proporções inimagináveis.

Somente Jair Bolsonaro tem hoje o apoio necessário para retirar o governo do controle dos esquerdistas que se apossaram da máquina do Estado, deflagar um processo de recuperação econômica, crescimento e prosperidade e restaurar a moralidade no trato com o dinheiro público.

Jair Bolsonaro, mantendo estrito respeito pela Democracia, saberá garantir a Ordem para alcançar o Progresso. Em poucos anos nosso BRASIL estará novamente de pé: a economia recuperada e em franco crescimento, a democracia funcionando cada vez melhor. Afinal, estaremos seguindo o caminho que TODAS as nações desenvolvidas, sem uma única exceção, seguiram: democracia política e liberalismo econômico, temperado por controles destinados a proteger os estratos mais desprovidos da sociedade.

Para fazer isto, Bolsonaro precisa de apoio parlamentar. Por isso, tão importante quanto votar em Bolsonaro é votar em candidatos que defendam idéias semelhantes às dele. Mas este é assunto para outro post.

O BRASIL ACIMA DE TUDO, DEUS ACIMA DE TODOS!

Pelos frutos se conhece a árvore

Assistimos hoje, perplexos, a tentativa de assassinato do candidato à presidência, Jair Messias Bolsonaro. Primeiro colocado nas pesquisas de opinião, Bolsonaro representa a única possibilidade real de que a direita assuma o poder em um país dominado há mais de vinte anos por governos de esquerda.

É verdade que a prática dos partidos de esquerda, no Brasil, tem certas particularidades que destoam do discurso. Para ficar apenas em um exemplo, o partido que diz representar o interesse dos trabalhadores governou o país durante treze anos distribuindo dinheiro público a grandes empreiteiras em uma escala nunca antes vista na história do Brasil.

De qualquer modo, ao longo do último quarto de século, a mentalidade esquerdista difundiu-se pela sociedade a partir do governo, tal como as emanações fétidas de um pântano.  Amplos setores da sociedade foram tomados por uma visão de mundo moldada em um paradigma falido, dissociado da realidade e fadado a produzir resultados desastrosos.

Escrevi anteriormente sobre o pensamento da esquerda [1], assinalando que esta ideologia, capitaneada no Brasil pelo PT e seu lider máximo, o presidiário Luís Inácio Lula da Silva, tem uma perigosa característica adicional [2]:

5 – A divisão dos brasileiros entre “nós” e “eles”
Parte da esquerda procura difundir a divisão do povo brasileiro em duas categorias: “nós”, que em algumas versões inclui desde os miseráveis até os trabalhadores metalúrgicos da indústria automobilística; versões mais radicais excluem do “nós” todos os brasileiros que fazem regulamente três ou mais refeições ao dia.
Em qualquer caso, “nós” representa tudo que há de elevado, altruísta e virtuoso no país; em contraste, “eles” é um símbolo do que é sórdido, egoísta e pecaminoso. No final das contas, a política é vista como um jogo de soma zero em que “eles” tem que perder para que “nós” ganhe.
Alguns esquerdistas já insinuam que a liquidação de um número indeterminado de “eles” será necessária (veja o artigo REDENÇÃO [3]), outros declaram seu ódio a “eles” (veja o artigo OS EXTREMOS SE ENCONTRAM [4] ).

Nos últimos meses a esquerda, numa tentativa desesperada de manter-se no poder, e em especial o Partido dos Trabalhadores, tem levado o discurso do ódio ao paroxismo. Tem incentivado o desrespeito à Lei, desacatado decisões judiciais, e empreende no momento uma tentativa vil de deslegitimar o processo eleitoral e, por consequência, a própria democracia brasileira.

Revelando de maneira definitiva sua natureza de verdadeira facção criminosa, o esforço do PT visando a destruição da democracia é comandado de dentro da cadeia pelo chefe da quadrilha que tanta desgraça já nos trouxe.

Os anos de insuflação ao ódio entre brasileiros finalmente amadureceram um fruto maldito: a tentativa de assassinato de um adversário político. Não se sabe ainda se o atentado contra Jair Bolsonaro foi resultado da ação de um “lobo solitário” ou de um elaborado complô, envolvendo diversas pessoas.

Seja qual for o caso, o fato é que a causa última desta agressão brutal a um candidato à Presidência da República é a pregação do ódio, orquestrada pelas esquerdas no Brasil.

E é uma amostra do que espera os adversários da esquerda, se Jair Bolsonaro não for o próximo presidente do Brasil. 

Referências:

[1]O PENSAMENTO DA ESQUERDA (20/ 06/ 2017) em Azevedo, João. Coxinhas, Mortadelas e Outros Petiscos: o Brasil na segunda década do século XXI (Locais do Kindle 978). Edição do Kindle.

[2] Azevedo, João. COXINHAS, MORTADELAS E OUTROS PETISCOS: O Brasil na segunda década do Século XXI (Locais do Kindle 1064-1076). Edição do Kindle.

[3] REDENÇÃO (06/ 06/ 2017) em Azevedo, João. COXINHAS, MORTADELAS E OUTROS PETISCOS: O Brasil na segunda década do Século XXI (Locais do Kindle 1247). Edição do Kindle.

[4] OS EXTREMOS SE ENCONTRAM (27/ 02/ 2015) em Azevedo, João. COXINHAS, MORTADELAS E OUTROS PETISCOS: O Brasil na segunda década do Século XXI (Locais do Kindle 2384). Edição do Kindle.

 

 

As entrevistas de Jair Bolsonaro

O candidato Jair Bolsonaro é odiado pela grande imprensa. Basta ver as entrevistas a  que tem sido submetido. Nenhuma pergunta sobre o plano de governo que foi apresentado por ele, e que é possivelmente o melhor de todos. Muitas perguntas (na verdade afirmações travestidas de perguntas) agressivas e de cunho ofensivo, destinadas a embaraçar e fazer com que o candidato tropece em alguma declaração infeliz.

É certo que Bolsonaro já disse algumas bobagens, mas isto é apenas um reflexo de sua condição de brasileiro comum, um ser humano como todos nós, que às vezes se excede num momento de indignação.

Bolsonaro não é um ignorante, como alguns de seus opositores tentam fazernos acreditar. Ninguém que completa o curso na Academia Militar de Agulhas Negras é um ignorante; em termos de escolaridade, ele está formalmente no mesmo nível de um advogado, engenheiro ou médico.

Mas ele é, sim, um guerreiro, formado na disciplina das escolas militares, onde se cultivam valores hoje um tanto fora de moda na sociedade brasileira: patriotismo, honradez, lealdade, perseverança.

Não fazem parte de sua índole os hábitos de confundir o interlocutor, mentir, sofismar, tomar o dito pelo não dito ou colocar seus interesses à frente de suas convicções. Ele não tem de forma alguma o poder de argumentação e a clareza na exposição de suas ideias de, por exemplo, um intelectual de renome internacional como Fernando Henrique Cardoso. Mas não é também um semianalfabeto como o presidiário Luís Inácio Lula da Silva.

Devido a essa característica de falar aquilo em que realmente acredita, e de não ter o discurso tão articulado quanto o de um político tradicional, às vezes ele se perde diante de algumas perguntas imbecis dos “jotnalistas” que o entrevistam.

Para ficar no caso mais recente, vamos examinar algumas afirmações/perguntas feitas na “entrevista” ao Jornal Nacional nesta terça-feira (28/08/2018) e as respostas que Bolsonaro forneceu, mas que poderia ter dado com mais ênfase e clareza, que é o que procuro fazer aqui. Coloco a palavra entrevista com aspas, porque a  impressão que se tem é que o quadro se destina mais a expor as opiniões dos entrevistadores do que as do entrevistado.

Sobre o que o distingue de outros candidatos

Em primeiro lugar, Bolsonaro é honesto, o que não é mais do que a obrigação de qualquer pessoa. Infelizmente, nem todos os candidatos  podem dizer o mesmo; havia entre eles até um presidiário condenado a 12 anos de cadeia por corrupção passiva e lavagem de dinheiro!

Em segundo lugar, Bolsonaro é o único candidato conservador com chances reais de vencer a eleição presidencial. Ele tem uma uma proposta liberal para a economia, algo que o Brasil precisa desesperadamente para sair do atoleiro no qual foi empurrado por governos irresponsáveis, corruptos e incompetentes que tem comandado o país desde 2002. 

Seus filhos são políticos; sua família é composta de políticos profissionais.

Jair Bolsonaro e seus filhos são políticos, o que absolutamente   não é um deslustre, mas sim uma honra, QUANDO O MANDATO É EXERCIDO COM DIGNIDADE E EM PROL DO BEM COMUM. Mostra que o povo prestigia os Bolsonaro com sua confiança, e entende que ele e seus filhos fazem o que todo político deveria fazer: honram o mandato que o povo lhes outorgou.
É bom lembrar que Jair Bolsonaro foi o deputado federal mais votado do estado do RJ; que não há único processo de corrupção contra ele e seus filhos; que ninguém da família está escondido no Uruguai, exibindo uma Ferrari; que sua esposa não amealhou R$11.000.000 (onze milhões de reais!!!) vendendo cosméticos de porta em porta.

Sobre defender a ideia de que as mulheres devem ganhar menos que os homens

A CLT determina que funções iguais devem receber salários iguais; se em algum caso específico isto não ocorrer, a mulher que se sentir prejudicada deve recorrer à Justiça.  Evidentemente, não é função do Presidente da República fazer o trabalho do MP, muito menos fazer pronunciamentos apregoando o óbvio: que a lei deve ser obedecida.

Bolsonaro  vai retirar direitos dos trabalhadores.

Bolsonaro não vai retirar direito algum, mesmo porque se o jornalista ler a Constituição verá que todos estão previstos no artigo 6º. O que Bolsonaro disse antes, e que faz todo o sentido, é que todo direito tem um custo e que custos adicionais diminuem a competitividade dos produtos brasileiros, a menos que sejam compensados por um aumento correspondente de produtividade. Isto é tão claro e evidente que talvez até William Bonner entenda.
O outro ponto que deve ser observado é que, para as empresas instaladas no Brasil, o custo de um empregado é muito maior do que o salário. Sobre a mão de obra incidem inúmeros encargos, que encarecem o custo e dificultam a redução do desemprego. Nisto o governo pode e deve mexer, no contexto de uma reforma tributária, como descrito em seu programa de governo.

Bolsonaro votou contra a PEC das domésticas. Por que fez isto?

Por que era óbvio e evidente que um grande número de patrões iria despedir  a empregada mensalista e contratar uma diarista, como de fato aconteceu. Assim, a suposta beneficiária da PEC teria uma brutal redução da renda, e deixaria de contribuir para o INSS. Isto de fato aconteceu e as estimativas mais otimistas que encontrei na web falam em 100.000 empregos cortados.

Bolsonaro apresentou relativamente poucos projetos e destes apenas três foram aprovados

Há 25 anos o Congresso Brasileiro é dominado por partidos de centro-esquerda ou esquerda. Como militar reformado Jair Bolsonaro é odiado pelos esquerdistas e seus projetos foram sistematicamente boicotados por esta gente.  Temos que mudar a face deste congresso, por isto é fundamental que os eleitores de Blsonaro votem em deputados e senadores alinhados com as idéias dêle.

Bolsonaro não fez nada pelo Rio de Janeiro.

Talvez Bonner não tenha sido informado de que Bolsonaro nunca ocupou um cargo executivo no Rio de Janeiro. Não foi  secretário, nem diretor de órgão público ou estatal. O que é natural, uma vez que o infeliz estado está, há muitos anos, nas garras de ladrões, que se dizem esquerdistas e, naturalmente, detestam tudo aquilo que Jair Bolsonaro representa.

Bolsonaro defende a tortura.

De forma alguma. Mas não podemos negar que houve um período na história brasileira durante o qual grupos armados se insurgiram contra o governo e ocorreu uma verdadeira guerra envolvendo as Forças Armadas e terroristas de esquerda. Embora seja moda hoje em dia afirmar de forma mentirosa que os grupos armados daquela época (ALN, VAR-PALMARES, COLINA, MR-8, etc.)  lutavam pela democracia, na realidade buscavam implantar no Brasil um regime comunista e totalitário. Houve excessos de parte a parte, mas só se comentam aqueles cometidos pelas FFAA. E a Lei da Anistia? Só vale para os crimes cometidos pelos antigos terroristas,   muitos dos quais ocupam ou ocuparam cargos nos governos pós-1985?

Bolsonaro é homofóbico.

Como já declarou inúmeras vezes, Bolsonaro não é homofóbico. Nossa Constituição estabelece que o objetivo do Estado é promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação. Além disto, o Estado de Direito se baseia nos princípios de que todos são iguais perante a lei e de que ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer algo a não ser em virtude da lei. Portanto, que cada um viva a sua sexualidade como lhe parecer melhor.
Agora, se eleito presidente ele não vai permitir que o dinheiro do contribuinte seja usado para ensinar a ideologia LGBT às nossas crianças. Livros didáticos que incentivam a prática da homossexualidade e contém ilustrações que beiram o limite da pornografia não serão financiados pelo Ministério da Educação. Ponto final. Se você pensa o contrário, não vote em Jair Bolsonaro. .

Mas há muitos assassinatos de gays e lésbicas, de mulheres, etc.

Os jornalistas não entendem (ou fingem não entender) o ponto. O homicídio é um crime gravíssimo, seja a vítima homo ou heterossexual, branca  ou negra, homem ou mulher,  adulto ou criança, ou qualquer outra categoria que se possa imaginar. Porém no Brasil 92% dos homicídios não são solucionados. Dos míseros 8% onde se encontra o culpado, este, se condenado, dificilmente permanece mais de oito anos na prisão; caso seja menor de 18 anos, não sofre, na prática, punição alguma.  Esta  é a situação que precisa mudar; é absolutamente inútil criar mais leis se os crimes de homicídio permanecerem essencialmente impunes.

Bolsonaro defende o uso da violência contra a violência          

Não se combate traficantes armados com fuzis AK-47 soltando pombinhos e entregando flores. São assassinos cruéis, que aterrorizam a população das favelas. Devem ser combatidos com o uso da força necessária. Um indivíduo armado de um fuzil circulando em uma favela deve receber imediatamente voz  de prisão; caso não obedeça, deve ser alvejado. A polícia deve ter a exclusão de ilicitude; qualquer reação armada pode e deve ser tratada com o uso de força letal.

Bolsonaro quer  que todo brasileiro  ande armado?

Evidentemente que não. Ele defende o direito à POSSE e não ao PORTE de armas. Todo brasileiro que satisfaça os requisitos estabelecidos em lei (idade mínima, treinamento, condições físicas e psicológicas) deve ter  o direito de possuir uma arma em casa, para a sua defesa. Se você não concorda, não compre uma arma. O porte continuará restrito. 

Major José Feliciano e Urbana Carolina

Detalhes do livro

É com grande satisfação que anunciamos o lançamento do e-book “MAJOR JOSÉ FELICIANO E URBANA CAROLINA: Genealogia, Estórias e Reminiscências” (publicação independente através do Amazon Kindle Direct Publishing). É o resultado do trabalho conjunto de Mauro Cunha Azevedo Neto, João Batista de Azevedo Júnior e Nídia Sancho Telles Rodrigues.

 

A obra traz a genealogia, as estórias e as lembranças das famílias Marques Azevedo e Telles da cidade de Santa Rita do Sapucaí, aprazível localidade do sul das Minas Gerais. Partindo do casal Major José Feliciano Marques Pereira (1831-1906) e Urbana Carolina de Azevedo (1849-1933) traçamos a história da família desde o final do século XVII até este início do século XXI. Relembramos as mudanças pelas quais passaram o mundo e o Brasil neste período, analisamos testamentos e inventários setecentistas, traçamos a biografia de alguns antepassados notáveis, contamos estórias – algumas quase lendárias – que circulam entre nossos familiares, apresentamos alguns escritos inéditos dos vários poetas e  literatos que houve na família. Embora trate especificamente das famílias Marques Azevedo e Telles, acreditamos que o conteúdo e a abordagem utilizada poderão interessar a qualquer leitor que aprecie estudos históricos e “causos” contados com leveza de alma e afeto no coração.

 

Para adquirir o e-book entre no site da Amazon Brasil, faça seu cadastro se necessário, e procure o livro pelo nome

 

https://www.amazon.com.br/MAJOR-JOS%C3%89-FELICIANO-URBANA-CAROLINA-ebook/dp/B07G2T3LWN?__mk_pt_BR=%C3%85M%C3%85%C5%BD%C3%95%C3%91&keywords=Major+Jos%C3%A9+Feliciano+e+Urbana+Carolina&qid=1533153467&sr=8-1-fkmrnull&ref=sr_1_fkmrnull_1